domingo, 12 de agosto de 2012

FELIZ DIA DOS PAIS.

Manoel e Débora Bandeira
Delírios de Mim Mesma.

Passei a semana pensando no meu velho...

Talvez meu pai não seja o melhor do mundo, talvez não seja um super-herói, e é bem provável que não seja um poço de qualidades. E é exatamente por isso que faz com que eu me sinta tão à vontade ao seu lado... Porque não sou a melhor filha do mundo, nem mulher maravilha, e sou cheia de defeitos. Mas é assim que ele me ama, e foi assim que me ensinou a amá-lo. Nunca escondeu meus erros debaixo de um tapete, e sempre me ensinou a consertá-los. Nunca fechou os olhos para qualquer indício que me levasse a um desvio de caráter, e pacientemente foi me moldando para que eu fosse uma pessoa de bem.

Quando criança brincava muito comigo, me incentivava mostrando o quanto eu era boa e quanto podia melhorar, e sempre deu o máximo de si, principalmente nos momentos de crise, para que em nossa mesa não faltasse o pão. 

Lembrei quando nos levava a seringais e colônias e lá fazia doce de banana, doce de goiaba, pão de milho com milho que ele mesmo tirava e ralava, tapioca, macaxeira com manteiga e ovos caipira... e o mujangué??? Minha nossa!!! Hehehehehe... Lembrei de quando em minhas crises de insônia ele fazia chá de cidreira, e quando meu estômago não estava legal, um chazinho de boldo. 

Nada prendado é bem verdade, mas quando resolvia fazer as guloseimas dele, não tinha pra ninguém. 

Senti tanta saudade que telefonei na quinta-feira e disse que queria um café à moda da colônia, e hoje cedo estávamos juntos num café recheado com macaxeira e ovos caipira, pão caseiro e pé-de-moleque. Faltou o pão de milho e o mujangué pai!!!

É meu velho, como o tempo passou rápido não é?! Os seus bebês cresceram e ficaram enoooooormes. Mas mesmo adultos, quando reunidos é uma fusaca só!!! Ô Criançada barulhenta!

Da Direita Para Esquerda: Zé bolão, Reco-Reco, Azeitona e Talinha Bandeira.

Quero te parabenizar por esse dia, e agradecer pela paciência conosco, por todas as broncas, todos os sorrisos, todos os presentes, por ensinar o valor de ser família, e pela felicidade em te ter como pai.

Sabe pai, você é sim o meu super-herói e é um poço de qualidades. E sabe qual é a maior delas? Você sempre soube como todo pai deve ser... O MELHOR PAI DO MUNDO!!!

Metade da Família. Da Esquerda Para Direita: Papai, Mamãe, Josué, Juliana Grávida do ou da J.J, Débora, Ana, Eliene, Roberto, Elias, Elias Júnior.
Chão,Chão, Chão... da Esquerda Para Direita: Aylla, Stella, Marcos e Manoel Neto.

2 comentários:

  1. Que coisa menina...você me fez chorar, ave!!...a sua história de família é igual a minha e com certeza igual a de muita gente acriana, bendito mujangué, que meu pai fazia quando eu acordava a tarde chorando, ele batia no caneco de leite, batia até ficar branquinho, era uma delicia, mas e a farofa de conserva que ele fazia na hora da janta, farofa molhadinha, com cheiro verde, misturada tudo dentro de uma bacia, enquanto ele ia terminando a mãe ia distribuindo os seis pratos de esmaltes no chão, em roda, pois isso acontecia na colonia e quando ele batia com a colher no fundo do prato, nos corriamos e sentavamos ao redor daqueles pratos, janta em familia, alegria, humildade e união....aos 13 anos me ensinou a dirigir em seus carros boiadeiros, quase meus pés não alcançava o pedal, também vinha a disciplina, gostamos de brincar de roda, da manja a noitinha e quando ele chamava, todo mundo corria pra lavar os pés e durmir...rsrs, ninguem ficava enrrolando.
    Meu pai foi morar com o pai eterno aos 62 anos, um anjo, aonde até hoje sinto a sua orientação, seu olhar e cultivo os seus ensinamentos.
    Grata Debrinha por essa materia tão linda, nela você fez homenagem também ao meu pai e creio que a todos que por aquí ao seu Blog passarem.bj menina danada.
    Sou
    Angela Martins

    ResponderExcluir
  2. Mostre o meu depoimento ao seu pai e ele vai dizer que no tempo dele, era assim tb,rs.
    Sou
    Angela Martins

    ResponderExcluir